Antiguidades Orientais

Estátua de forma humana, a mais antiga do Louvre

Estátua de forma humana, a mais antiga do Louvre

4 minutos Departamento das Antiguidades Orientais. Ala Sully, nível térreo, sala 303, vitrine 8. A Estátua de forma humana (ou estátua Antropomórfica) em gesso, que nos fixa com seus grandes olhos de pupilas pretas, é considerada uma das mais antigas do Oriente Médio, da época Neolítica ou da Pedra Polida, de aproximadamente 7.000 a. C., e até o momento é a mais antiga em exposição no Museu do Louvre. A História: Em 1985, durante a construção de uma auto-estrada que ligava a cidade de Continue lendo

Touro  Alado ou Lamassu

Touro Alado ou Lamassu

2 minutos Touro Androcéfalico Alado ou Lamassu Departamento de Antiguidades Orientais. Ala Richelieu / nível térreo / sala 229. Cada Touro Androcéfalico Alado ou Lamassu do Museu do Louvre foi esculpido em pedra monolítica, medindo 4 m de altura x 4 m de largura x 4 m de espessura. Quando Sargão II fundou sua nova capital Dur-Sharrukin, (“a fortaleza de Sargão”), por volta de 713 a.C., no Iraque, (atual Khorsabad), cercou a cidade com um enorme muro de tijolos, construiu vários palácios, e sete portas Continue lendo

Código de Hammurabi, rei da Babilônia

Código de Hammurabi, rei da Babilônia

4 minutos Código de Hammurabi, rei da Babilônia. Pedra basalto. Altura: 2,25 m ; Largura: 0,79 m ; Espessura: 0,47 m. Departamento de Antiguidades Orientais. Ala Richelieu / nível térreo / sala 227. O Code de Hammurabi é uma grande pedra de basalto escuro, esculpido com textos de leis jurídicas, redigidos na escrita cuneiforme, na língua acadiano, falada na antiga Mesopotâmia. Erigido por ordens do rei da Babilônia, Hammurabi (1792 – 1750 a.C.) provavelmente na antiga e desaparecida cidade de Sippar de Shamash, (deus-sol e da Continue lendo

Estátua de Ebih-Il nu-banda

Estátua de Ebih-Il nu-banda

2 minutos Estátua de Ebih-Il nu-banda Período das dinastias arcaicas, por volta de 2400 a.C. Antiguidades do Próximo Oriente. Ala Richelieu / Nível 0 (térreo) / Mesopotâmia arcaica/ Sala 234. Gipsito (pedra de gesso ou alabastro), lápis-lazúli, conchas. Pequena obra-prima, encontrada dividida em duas partes, em 1934, pelo arqueólogo francês, André Parrot e sua equipe, no templo de Istar, (deusa do amor e fertilidade, na mitologia Suméria, anterior a mitologia Grega), em Mari, (atual Tel Hariri, cidade na Síria). A cabeça foi encontrada em 22 de janeiro Continue lendo