Tom Pavesi Guia do Louvre

Tom Pavesi Guia do Louvre

Tempo de leitura: 3 minutos

Tom Pavesi Guia do Louvre

Tom Pavesi Guia do Louvre
Tom Pavesi – Guia Conferencista do Louvre

Tom Pavesi Guia do Louvre: Brasileiro, Arquiteto e Urbanista (FAU Campinas, São Paulo), Diplomado Técnico Superior em Animação e Administração Turísticas Locais (DAVA, Paris), Diplomado Guia Intérprete Regional (École National du Commerce Bessières, Paris), e Guia Conferencista Nacional, pelo Ministério da Cultura e do Turismo da França. 

Especializações em: História das civilizações, história da Arte, história de Paris, história da França, Arquitetura e Patrimônios.

Seu profissionalismo, dedicação, experiência, dinamismo, faz dele uma boa opção para você descobrir os segredos e peculiaridades de Paris e da França, de uma forma bem calorosa, familiar, que somente um  guia brasileiro poderá lhe proporcionar.

Quer curtir nossa página no Facebook clique aqui ?

Interessado em visitar o Louvre com o Tom Pavesi

Então, clique em:

O que é uma Guia Conferencista?

É um profissional formado em uma faculdade especializada no turismo (de 2 a 3 anos), que tem como base nos seus conhecimentos obrigatórios: história da arte, história das civilizações, história de Paris, história da arquitetura, Patrimônios Franceses.

Para se trabalhar legalmente nesta profissão é exigido pelo pelo Ministério do Turismo e da Cultura francesa, a apresentação da carteira profissional sempre que for solicitado por fiscais , agentes de segurança, estiverem trabalhando na condução de pessoas em visitas guiadas, em museus ou em qualquer Monumento Nacional da França.

O Guia Conferencista podem guiar livremente nos locais turísticos abertos ou fechados, fazendo comentários em língua estrangeira ou em francês, procurando através dos seus conhecimentos e estudos, a valorização do patrimônio local do país, no caso aqui a França.

Comentários esses que podem ser em voz alta ou através de aparelhos de fones de ouvidos (ou auriculares), onde cada pessoa do grupo escuta as explicações, de forma privilegiada.

Um bom guia precisa ter noções de história, política, economia, social, cultura, arte, turismo, pedagogia e comunicação.

Como o guia conferencista pode exercer sua profissão ?

Como trabalhador liberal, microempreendedor (em francês, “autoentrepreneur”) ou assalariado para: museus, agências e operadoras de viagens, centros turísticos, etc.

Uma tabela de honorários foi estabelecida, e normalmente é respeitada por todos os profissionais que trabalham neste setor. Mas pode haver diferenças nas renumeração do  guia contratado, por parte das agências e operadoras, devido a dificuldade de se encontrar a pessoas certa para a língua solicitada.

Um guia conferencista de língua portuguesa (e que ainda seja brasileiro) pode ser mais caro, do que um guia conferencista de língua inglesa, (que são milhares). O que se leva em conta  é a demanda por uma língua especifica.

Em Paris existe atualmente no máximo 30 guias conferencistas brasileiros em atividade, entre homens e mulheres.

A profissão de guia conferencista (guide-conférencier) é regulamentada pelo artigo L.221-1, do código do turismo.

Cuidado com os falsos guias !

Apesar de ser um profissão que exige uma formação universitária e muitos estudos, o controle das cartas de guias conferencista nas entradas e bilheterias, nos principais monumentos e museus da França, são falhos e muitas vezes nulas.

Tom Pavesi Guia do Louvre

Por essa enorme falta de controle, vemos cotidianamente, falsos guias, (principalmente em Paris), brasileiros, chineses, russos e outras nacionalidades… , se aproveitaram dessa situação caótica propondo serviços a preços realmente baixos em relação a tabela dos honorários estabelecido pela agências e operadoras.

Portanto fica nosso alerta ao turista brasileiro ! Cuidado com as propagandas enganosas, nas redes sociais, internet, e outros meios, pois muitos desses “guias” são altamente despreparados em conhecimentos, e desinformadas culturalmente, para atender você com qualidade e profissionalismo.

Em caso de dúvidas na hora de contratar seu guia, peça para que ele mostre a carteira profissional.

 

2 Comentários


  1. Bom dia Tom. Fiz uma visita guiada ao Louvre com você há alguns anos atrás e gostei muito. Minha filha é sobrinha estão indo a Paris entre 31 de julho e 16 de agosto e gostaria de marcar uma visita para elas

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *