Estigmatização de São Francisco

Estigmatização de São Francisco

Tempo de leitura: 4 minutos

“Estigmatização de São Francisco” (em francês: “Saint François d’Assise recevant les stigmates’’) é uma pintura sobre madeira para um*retábulo com uma *predela realizado aproximadamente de 1295 a 1300, pelo pintor, escultor e arquiteto italiano florentino, Giotto di Bondone (1266-1337), ou Giotto.

A obra vem da capela Ughi, da igreja de “San Francesco”, em Pisa, Itália. Em 1813 foi entrou para as coleções do Museu Louvre como uma conquista militar do imperador da França, Napoleão I (1814-1814/1815).

Após a queda do trono de Napoleão, a obra foi uma das 100 pinturas que não foi devolvida para a Itália.

* O Retábulo é um elemento estrutural vertical ornado de representações históricas ou figurada ou esculpida ou pintada, que se encontra muitas vezes atrás do altar principal (Altar-mor) onde o sacerdote celebra sua missa, seja numa capela, igreja, basílica ou catedral.  Podendo ser de madeira, mármore ou de outro material rígido. Geralmente construído por um artista que acumula várias competências, pintor, escultor, arquiteto… Frequentemente o Retábulo é composto por painéis, no caso de dois painéis, é chamado de Díptico, três painéis, Tríptico, e quatro ou mais painéis, é chamado de Políptico.

* A Predela é uma plataforma que se encontra abaixo do Retábulo, podendo ser composto por uma prancha única horizontal ou separado por duas ou mais pranchas, esculpidas ou pintadas, servindo como suporte aos painéis superiores do retábulo. Tem com função iconográfica, de complementar a cena principal do retábulo, através de pequenas narrativas, históricas, e religiosas.

Descrição da obra:

O Retábulo de Giotto realizado em forma de pináculo, (moldura triangular no alto) com uma predela, nos mostra de uma maneira bem didática, quatro passagens importantes da vida de São Francisco de Assis (1181 ou 1182 – 1226).

Na parte central do retábulo vemos São Francisco no momento que foi orar no alto do monte Alverne (Itália) recebendo as 5 estigmas em suas mãos e pés em forma de raios luminosos, diretamente de Jesus Cristo, retratado como o anjo Serafim, com 3 pares de asas.

Os estigmas são as feridas que Jesus Cristo sofreu na hora da sua crucificação, e que parecem em alguns santos. Os estigmas de São Francisco são portanto o sofrimento de Cristo no corpo do santo.

Estigmatização de São Francisco
“Estigmatização de São Francisco”, de Giotto. Louvre.

São Francisco é reconhecido por sua auréola, seu corte de cabelo e seu hábito tipico da ordem Franciscana, amarrado por um cinto de corda com três nós, representando cada um seu voto a Deus: Pobreza, castidade e obediência.

Na Predela dividida em três seções, vemos a esquerda: “O sonho do papa Inocêncio III(1198-1216) sonhando que São Francisco está sustentando a Igreja católica com a força dos seus braços de forma que não desmorone. Isso significa que ele é o único que pode endireitar os rumos da igreja criando uma ordem religiosa, trazendo novos fiéis, através dos ensinamentos dos evangelhos e a bondade de Deus. Resumindo, restaurar o legado da “Igreja Universal” que se encontrava abandonada e desacreditada.

Estigmatização de São Francisco
“O sonho do papa Inocêncio III”, de Giotto. Louvre.

Na predela do meio, vemos o papa Inocêncio III confirmando o estatuto da recém-fundada, ordem Franciscana.

Estigmatização de São Francisco
“A aprovação do papa Inocêncio III da ordem Franciscana”, de Giotto. Louvre.

E na última predela, a direita, São Francisco dando alimentos aos pássaros”, nos mostra o respeito que ele tem pelos elementos da natureza espalhando a palavra de Deus a todos os seres vivos da terra.

Estigmatização de São Francisco
“A pregação de São Francisco aos pássaros”, de Giotto. Louvre.

A importância da obra na história:

Giotto foi o pintor quem rompeu com a arte gótica italiana, “Trecento”, e quem anunciou e influenciou a chegada dos artistas renascentistas dos séculos XIV e XV. Sua visão do mundo, o ajudou a construir o movimento humanista, onde o homem foi colocado no centro do universo, mestre de seu destino, e não mais a Igreja, com suas explicações teológicas usadas para dirigir o mundo através de Deus. Foi aluno do mestre Cimabue (1240-1302) considerado pelos historiadores, como sendo o maior pintor do século XIII e início do XIV.

Estigmatização de São Francisco
Retrato de Giotto, final do século XV, artista desconhecido. Louvre.

Nessa obra “Estigmatização de São Francisco”, alguns elementos foram considerados inovadores para época, sendo primeiramente apresentação das cenas históricas de um santo, pois antes somente o que homem presenciava ou o que eram contados nas escrituras eram representados.

Vemos também, a introdução da natureza, do volume e da profundidade (notem as árvores nas montanhas). O olhar de São Francisco, nos mostra uma intensa expressão ao fixar Jesus-Serafim, mostrando ser uma pessoa humana e com sentimentos.

Localização da obra:

Departamento de Pinturas.

Ala Denon, “Salon Carré”, nível 1, sala 708.

Ala Denon, “Salon Carré”, nível 1, sala 708.

Fonte: Museu do Louvre.

Quer fazer uma visita guiada pelo Louvre ou outros locais, clique no botão abaixo para mais informações e agendamento:

4 Comentários


  1. Mais um artigo sensacional, que nos ajuda a entender a história da forma como ela aconteceu.
    Obrigado e parabéns Tom Pavesi!

    Responder

  2. Como sempre de grande esclarecimento seus comentários !
    Fico esperando ansiosa os seus comentários!
    Parabén, sou sua super fã !

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *