Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor

Tempo de leitura: 5 minutos

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor é uma estátua em mármore de 2.02 metros, realizada por escultor desconhecido, por volta de 100 a.C.

Afrodite na mitologia Grega e Vênus na mitologia romana.

Descoberto em 1820, por acaso por um agricultor que procurava por pedras para construir um muro no seu terreno, na ilha de Milo, Grécia, (antiga Melos), localizada ao norte do mar Egeu, no arquipélago das Cíclades.

Ilha de Milos, Grécia. Google Maps.

Chegou em Paris, pelo embaixador francês no Império Otomano, Charles François de Riffardeau, marquês de Rivière (1763-1828) que após comprá-la legalmente deu de presente em 1821 ao rei da França, Luís XVIII (1814/1815-1824), que em seguida doou para o Museu do Louvre.

Rapidamente virou a maior atração do museu, mas perdeu sua celebridade em 1911, para o quadro da Mona Lisa, de Leonardo da Vinci (1452-1519) que havia sido roubado por Vincenzo Peruggia (1881-1925). Clique aqui para ler artigo.

Afrodite é uma obra Clássica ou Helenística?

Uma obra de difícil análise, pois faltam elementos importantes para dar uma data exata da sua realização, a identificação do personagem e do autor da obra.

Pode ter sido construída no Período helenístico, (século IV a.C. ao século I a.C.) ou no Período Clássico, (século VI a.C. ao século IV a.C.

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor
Vênus de Milo, frente. Museu do Louvre. Foto: Anne Chauvet.

Deusa do amor e da beleza foi atribuída assim por sua feminilidade, nudez parcial e a sensualidade nas suas formas.

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor
Vênus de Milo, costas. Museu do Louvre. Foto: Anne Chauvet.

Mas existe também uma dúvida, pois alguns historiadores a classificaram como sendo a estátua da deusa Anfitrite (mitologia grega) ou Salácia (mitologia romana), esposa de Poseidon, (mit. grega) ou Netuno (mit. romana).

Deusa dos mares rainhas dos oceanos, e dos habitantes de inúmeras ilhas gregas, principalmente na ilha de Milo.

“Amphitrite sur son char”(1580), par Hendrik Goltzius.
Museu de Arte de Los Angeles (E.U.A.).

Num consenso geral foi classificada como sendo Afrodite (ou Vênus de Milo), possivelmente realizada entre 130 a.C. a 100 a.C. no período Helenístico.

Análise da Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor:

Existe na obra elementos herdados do período Clássico, pelo rigor anatômico, fisionomia sem expressão, nariz alongado e ligado diretamente a testa, sem formar a glabela, (cavidade entre o nariz e a testa), quebrando assim toda a frontalidade.

Esculpida em dois grandes blocos de mármore da ilha de Paros, sendo que um, localizado na parte baixa da obra, entre a cintura e os pés. Vestido drapeado e pernas.

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor
Detalhe bolco parte baixa. Vênus de Milo. Louvre.
Foto: Lívioandronico2013.

E um outro bloco, localizado da cintura para acima: Torso, pescoço e cabeça.

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor
Detalhe bloco parte alta. Vênus de Milo. Louvre.
Foto: Lívioandronico2013.

Haviam dois outros blocos menores para os braços, mas nunca foram encontrados.

Uma técnica bem conhecida entre os escultores gregos, que após construírem as partes da escultura separadamente usavam grampos de ferros para fazer a união de tudo. Um dos engaste é visível no braço esquerdo.

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor
Vênus de Milo (por volta de 100 a.C.). Museu do Louvre.
Foto: Lívioandronico2013.

Elementos que evocam o modelo de nudez usado pelo escultor Praxiteles, (330 a.C – 295 a.C.) do final do século IV a.C. como a  “Afrodite de Cnido”, considerado o segundo nu em tamanho natural, do estatuário grego.

“Afrodite de Cnido”, de Praxiteles.
Museu Nacional Romano do Palácio Altemps.
Foto: Marie-Lan Nguyen.

Mas a preciosidade construtiva da obra num espaço tridimensional, os cabelos amarrados, onde as mechas caem sobre a nuca, corpo nu carnudo com largas nádegas e cintura, a forma helicoidal na contorção do corpo, movimento da articulação da perna esquerda, transparência, realismo nas dobras do tecido que cobre a coxa da direita, e a utilização nas proporções ideais do corpo humano conforme as regras de Lísipo, são elementos que atestam que a obra foi realizada no Período Helenístico.

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor
Afrodite (por volta de 100 a.C.). Museu do Louvre.
Foto: Lívioandronico2013.

Outra identificação helenística está nas proporções da escultura, conhecido como Cânone (regras) de Lísipo, escultor grego do século IV a.C. que definiu que a altura da cabeça da deveria representar 1/ 8 da altura do corpo inteiro.

E a Vênus de Milo do Louvre tem essa característica.

Afrodite ou Vênus de Milo deusa da beleza e do amor
Proporções 1/8 da Vénus de Milo. Foto: Anne Chauvet .

Contrariamente ao Cânone de Policleto, escultor do século V. a.C. , do período Clássico (século VI a.C. ao século IV a.C.) onde as cabeças da estátuas representavam 1/7 da altura do corpo.

Localização no Louvre:

Departamento de Antiguidades gregas, etrusca e romanas.

Ala Sully, nível térreo, sala 345 ou sala “de la Vénus de Milo”.

Ala Sully, nível térreo, sala 345 ou sala “de la Vénus de Milo”. Louvre.

Sugestões de livros, e-books e Seguro Viagem:

Livros:

Sugestões: 10 Livros sobre Paris e seus Segredos.

E-book:

Guia de Viagem: “Paris Vivências”, de Cynthia Camargo.

Dicas de Viagem: “Como viajar barato para França”, de Simon Canteloup.

Seguro Viagem:

Escolha no site: “Segurospromo” o seu melhor plano de Seguro Viagem.

Precisa de uma guia profissional em Paris, clique no botão abaixo para mais informações e agendamento:

Fonte: site Museu do Louvre.

1 comentário


  1. Como sempre suas explicações são aulas maravilhosas que vem acrescentar muito para quem gosta de arte.
    Obrigada sempre !👏🏻👏🏻

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *